O Brasil é o pior em inovação entre os Brics, segundo pesquisa

17/01/2017

O Brasil é o pior em inovação entre os Brics, segundo pesquisa

Um estudo coordenado pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) mostra que o Brasil é o pior no quesito inovação entre os países dos Brics (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul). O Brasil está na 69ª posição num levantamento realizado com 128 países. Em cinco anos, de acordo com a pesquisa, o Brasil perdeu 22 posições levando-se em consideração 79 critérios.

Entre os Brics o destaque positivo na pesquisa foi a China. Aparece em 25º no ranking. Na sequência: Rússia (43ª), África do Sul (54ª) e Índia (66ª).

De acordo com o panorama de inovação, o Brasil mudou de otimismo para preocupação em seis anos. O país passou da 47ª posição em 2011 - a melhor colocação já registrada - para a 69ª em 2016. A posição geral só não é pior do que a aferida em 2015, quando o Brasil ocupou o 70º lugar. Esmiuçando o dado, o Brasil precisaria aumentar em 60% seus investimentos em inovação, considerando recursos financeiros e humanos, para alcançar os índices da Suíça, que lidera o ranking.

Mesmo com acréscimo de investimento no período analisado, o resultado continua não sendo favorável para o país, em especial depois de 2014. Além de haver queda significativa na eficiência da inovação, destaca estudo. Em apenas cinco anos, despencou de oito posições.

De maneira geral, o estudo traz algumas recomendações para reverter o mau desempenho do pais. Destaca-se, o fortalecimento de políticas em inovação para que investimentos públicos alavanquem privados, maior cooperação entre empresas e universidades, além de incentivo à internacionalização e ao empreendedorismo. "Também precisamos criar instrumentos para gerenciar, monitorar e avaliar a agenda de inovação, bem como reforçar nosso ecossistema de inovação e o sistema de financiamento", conclui a diretora de Inovação da CNI, Gianna Sagazio.

Fonte: F. Iniciativas com informações da CNI